Arquivo da categoria 'História da Arte'

Como criar uma obra de arte: os oito passos

Antigos mestres desenvolviam métodos de trabalho que os ajudassem a visualizar cenas históricas ou mitológicas. Um destes mestres foi Federico Barocci, um pintor do séc.XVI, que planejava suas pinturas seguindo oito passos, conforme relato de seu biógrafo, Bellori.

madonna_barocci

Barocci. Madona. (more…)

O Renascimento e o intercâmbio de conhecimento

No início do século XIV, muitos fatores se articulariam favorecendo a difusão das idéias de renovação intelectual e artística.

Michelangelo Buonarroti. A criação de Adão. Capela Sixtina, Vaticano. (more…)

A Renascença e o Humanismo

No século XV, afirma-se o movimento humanista iniciado por Petrarca e Boccaccio, que se em princípio foi exterior e filológico, logo afetaria todos os âmbitos da vida, desdobrando-se em efeitos complexos.

Andrea di Bartolo di Bargilla. Francesco Petrarca. Galleria degli Uffizi, Florença, Itália. (more…)

Renascença… uma reflexão…

Na Idade Média (476 d.c a 1453 d.c), a Igreja Católica, única instituição a se manter coesa depois do fim do Império Romano do Ocidente, começou a exercer influência em toda atividade humana.

Monastério Cisterciense de Maulbronn, fundado em 1147.
Baden-Württemberg, sudoeste da Alemanha.
(more…)

Arte carolíngia em Aix-la-Chapelle (Aachen)

A gama da arte cristã primitiva era tão ampla quanto as atitudes intelectuais da época.

Catedral de Aachen, interior. (more…)

Mosaicos de Zeugma

O historiador Plínio relata que Alexandre, o Grande, foi o primeiro a construir uma ponte unindo as margens do rio Eufrates na região de Belkis, próxima a Gaziantep, no Sul da Turquia. Eram duas cidades, Seleucia e Apamea, em margens opostas do rio. A travessia no ponto mais favorável era chamada Zeugma, que tornou-se o nome da região a partir do séc.I.

A garota cigana. Mosaico, Gaziantep.

Este mosaico tornou-se o símbolo de Zeugma. Dizem que pelo mistério que a jovem traz no olhar. Mas pesquisas apontam que essa seria a fisionomia da deusa da Terra, Gaia. (more…)

O Mosaico na Arte Pré-Colombiana 2

A civilização asteca, assim como a maia, produziu mosaicos com incrustação de pedras preciosas.

Máscara asteca em mosaico de jadeíta e cinnabar, sobre pedra verde. (more…)

O Mosaico na Arte Pré-Colombiana 1

Encontramos a arte do mosaico na América pré-colombiana, principalmente nas civilizações asteca e maia. Estátuas de culto, máscaras, capacetes e ornamentos eram recobertos por peças pequenas e irregulares criando uma rica superfície.

Espelho maia com incrustações de turqueza, adornado com serpentes, símbolo dos reis maias de Chichen Itza, na Península de Yucatan. (more…)

Mosaico Romano

No império romano, a técnica do mosaico é largamente aplicada como revestimento e decoração coincidindo com a vasta expansão urbanística e a construção de grandes edificações. O mosaico já não é tão intenso como tapete, mas faz parte integrante da arquitetura, alcançando um nível técnico impressionante.

The House of the Tragic Poet, Pompéia. Este mosaico retrata atores que encenam um drama grego.

É inestimável o valor de uma obra como esta, para os modernos historiadores compreenderem o modo de viver do romano. Estava localizado no tablinium (sala principal) de uma casa romana.

Pode ser visitado no Museu Arqueológico Nacional em Nápolis, Itália.

O mosaico de pavimento já não se satisfaz com um tapete no centro dos ambientes; cobre inteiramente a superfície, o que torna necessária a simplificação da técnica.

Mosaico de pavimento em preto e branco na entrada de uma residência em Pompéia.

Mosaico de pavimento. Pompéia.

Assim nasceu o mosaico em preto e branco de Pompéia.

Mosaico de pavimento. Pompéia.

Mosaico de pavimento em preto e branco. Sussex, Grã-Bretanha, séc. I.

Mosaico de pavimento. Perge, Turquia.

Mosaico de pavimento em uma residência em Kerkouane, Tunísia.

Já não se usa tanto o emblema e sim os motivos geométricos e florais explorando o máximo de possibilidades em diferentes técnicas de mosaico.

Mosaico de pavimento. Dougga, Tunísia.

Mosaico de pavimento no vestíbulo de uma residência, The house of tragic poet, em Pompéia.
Retrata um cão doméstico latindo; abaixo lemos Cave canem, este antigo aviso pode ser traduzido pelo atual “Cuidado com o cão”. Encontramos mosaicos similares em outras casas de Pompéia.

A importância e a função dos ambientes estabelece o tema da decoração para salas ou mesmo edificações; cenas mitológicas para os templos, motivos marinhos para as termas, figuras eróticas para os quartos.
Em fins do império romano, há uma maior difusão do mosaico parietal com tesselas de vidro, principalmente em fontes e piscinas.
A pasta vítrea adapta-se perfeitamente à superfícies curvas, resiste à umidade e brilha com a água.

Mosaico Grego

Os primeiros mosaicos gregos de que temos notícia, foram os pavimentais. Eram feitos de seixos rolados em tonalidades de cinza, azul, amarelo, vermelho, branco e preto. Concebidos para complementar a decoração do ambiente, ocupavam o centro da sala, substituindo o tapete.

Detalhe de um mosaico em seixos, retratando centauros, na sala de entrada de uma casa. Pella (cidade da antiga Macedônia, próxima da atual Tessalônica). (more…)