Iconografia Cristã Primitiva

A Igreja sempre utilizou como meio de comunicação para veicular conceitos e dogmas (verdades divinas), símbolos e imagens que eram mais compreensíveis que a transmissão oral e, também, como meio de instruir a população iletrada.
No primeiro século, os elementos simbólicos utilizados para difundir as idéias cristãs, são provenientes do Egito, Etrúria e Pompéia.
Desde o século II, encontramos pinturas nas paredes das catacumbas com cenas correspondentes aos episódios bíblicos, recorrendo a um simbolismo, pois não era permitida a representação dos mistérios religiosos para que não acontecesse profanação.

Orante (detalhe), catacumba de Priscilla, cubículo de velatio, Roma, III século

Seus temas mais comuns são âncoras, cestos cheios de pão, uvas com pássaros bicando-as, e peixes. Outras representações interessantes são a do Bom Pastor, da Cruz Gamada e da Orante (tipo feminino em pé, gravada por meio de punção em superfície de estuque e pintada em arcosolium (abóbada) e cubiculum (capela).

Bom Pastor, 400 (c.), catacumbas de Priscília, Roma

A linguagem ingênua da época paleocristã usa a pomba para falar da paz eterna, o anjo como pureza sem pecado, a fênix como ressurreição e o peixe para falar de Jesus (pois peixe em grego, são as iniciais de Cristo, filho de Deus, Salvador).

Deixe um comentario